Mais vagas

Cuidador de idosos: uma profissão em crescimento

Aprenda a deixar seu currículo perfeito, impossível de ser ignorado.

Cadastre-se e pegue o seu e-book agora! É grátis.

A população idosa no Brasil não para de crescer e aqueles com 65 anos ou mais já correspondem a cerca de 10% do total de brasileiros: são mais de 32,9 milhões de idosos em todo o país.

Com isso, a oferta de vagas para o cuidador de idosos tem visto um crescimento vertiginoso nos últimos anos. Para se ter uma ideia, de 2007 até 2017 o número de cuidadores saltou de 5.263 para 34.051 profissionais, segundo pesquisa da Fundação Getúlio Vargas. Um crescimento impressionante de 547%!

A profissão foi uma das que mais cresceram durante o período e continua em ritmo de crescimento, com um grande número de vagas sendo oferecidas em todas as regiões do país. E o melhor: para o futuro, a tendência esperada é de ainda mais crescimento e oportunidades para o cuidador de idosos. 

No artigo abaixo, você confere o porquê e entende melhor como é o trabalho desse profissional, seu perfil e como se preparar para o mercado. Confira!

Um futuro promissor para o cuidador de idosos

A demanda por cuidadores de idosos já é grande em todo o país e deve crescer ainda mais nos próximos anos.

Isso porque, segundo estudos do IBGE, a população idosa no Brasil continuará a aumentar e deve triplicar até 2050, chegando a 63 milhões de pessoas. Ou seja, teremos uma população ainda mais madura e, com o avanço da medicina e da expectativa de vida, a procura por cuidadores também deve aumentar substancialmente.

A recente aprovação no Congresso Nacional do projeto de lei que regulamentou e formalizou a profissão é outro fator que deve impulsionar ainda mais esse mercado. Isso pois, a formalização traz mais estabilidade e segurança para o cuidador, garantindo direitos e benefícios, além de aumentar a confiança por parte das famílias.

Além disso, a expectativa é de que, no futuro, as famílias dependam ainda mais dos trabalhos de um cuidador. Principalmente por conta das mudanças na composição familiar e da rotina cada vez mais frenética que elas enfrentam.

Então, se você pretende atuar na área, saiba que as oportunidades são muitas e só devem aumentar ao longo dos próximos anos. E, se você quer aproveitar todas essas oportunidades, é importante conhecer melhor a profissão e buscar se qualificar, como veremos nos próximos tópicos. Continue acompanhando!

Mas então, o que faz um cuidador de idosos?

O envelhecimento traz consigo uma série de limitações e obstáculos para a vida do idoso, dificultando praticamente todas as suas atividades. Os impactos na saúde também são muitos, com maior risco de doenças crônicas, perda de visão, propensão a demências, perda da mobilidade ou até mesmo a necessidade de ficar acamado.

A função do cuidador de idosos é justamente auxiliá-lo a atravessar esse período com a maior qualidade de vida possível, ajudando a suprir suas necessidades básicas e a proporcionar um envelhecimento mais feliz e satisfatório.

Entre as principais tarefas desse profissional, estão, por exemplo:

  •  Auxílio na realização da higiene pessoal, ajudando no banho, na escovação e na troca de fraldas;
  • Administração de medicamentos, certificando-se de que o idoso tome seus remédios na hora e na dosagem estipulada pelo médico;
  • Ajuda com as atividades domésticas e do dia a dia, como no preparo de refeições e locomoção; 
  • Manutenção do ambiente no qual o idoso vive, zelando para que ele se mantenha limpo e organizado para manter seu conforto e prevenir acidentes;
  • e vigilância para manter seu bem estar, dedicando-se para que ele se mantenha confortável, medicado e alimentado.

Além disso, o cuidador de idosos também deve trabalhar para manter a saúde mental do idoso. Por exemplo levando a passeios, batendo um bom papo, tomando um banho de sol e ajudando em trabalhos manuais, entre inúmeras outras atividades que possam trazer mais alegria e bem estar.

O perfil essencial ao cuidador de idosos

Para conseguir dar conta de todas essas responsabilidades, essenciais para a vida e o bem estar tanto do idoso quanto de sua família, o cuidador de idosos precisa não só estar bem qualificado e preparado, como também necessita ter o perfil certo para uma função tão importante.

Afinal, como você deve imaginar, esse não é um trabalho simples e, com certeza, não é para qualquer um. O profissional precisa ter muita atenção, paciência e diversas outras qualidades em seu perfil que estimulem, facilitem e promovam eficiência e qualidade em todas as tarefas que precisam ser desempenhadas no dia a dia.

Abaixo, confira as principais habilidades que precisam estar presentes no perfil do cuidador de idosos. Confira!

Paciência

Paciência é uma habilidade crucial para o cuidador, pois ele precisa ser compreensivo com a situação em que o idoso se encontra, muitas das vezes com mobilidade reduzida e dificuldade para realizar até mesmo as tarefas simples.

Em muitos casos, há não só a diminuição da capacidade física do idoso, como também deficiências cognitivas, que requerem muita tolerância e paciência por parte do profissional.

Atenção

Como vimos, entre as responsabilidades do cuidador estão tarefas extremamente importantes para a vida do idoso e que requerem total atenção do profissional para evitar acidentes e infortúnios.

A administração de medicamentos, por exemplo, precisa ser feita na dosagem e horário correto todos os dias. Nesse caso, uma simples distração pode ter efeitos desastrosos e até mesmo custar a vida do idoso.

Responsabilidade

O cuidador de idosos também precisa ser responsável e cumprir suas funções com o máximo de seriedade possível. Afinal, a rotina e o bem estar do idoso e de sua família dependem diretamente dos seus serviços.

Muita empatia, motivação, proatividade e capacidade de observação também são características essenciais ao cuidador de idosos.

Qualificação também é extremamente importante

Por fim, apesar de uma formação acadêmica ou habilidades técnicas não serem uma exigência comum das famílias, é extremamente importante que o cuidador de idosos busque se qualificar para conseguir atender a todas as necessidades e demandas no acompanhamento ao idoso.

Com um curso, por exemplo, ele pode aprender diferentes técnicas de assistência para o banho, alimentação e locomoção; treinamento para prestação de primeiros socorros, e métodos de promoção da saúde, do humor e bem estar do paciente.

Um treinamento também ajuda muito na hora de conseguir uma vaga, pois é um diferencial importante frente à concorrência e inspira confiança nas famílias, aumentando as suas chances de conquistar um emprego na área.

Mas e o seu currículo, está preparado para o mercado? Não? Então assine o Trilhas e tenha acesso à dezenas de cursos para melhorar o seu CV e aumentar as suas chances de sucesso!




O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *