Primeiro emprego

JOVEM APRENDIZ, ESTAGIÁRIO E TRAINEE - OPORTUNIDADES DIFERENTES DE PRIMEIRO EMPREGO

QUER CONQUISTAR SEU PRIMEIRO EMPREGO PELOS PROGRAMAS DIRECIONADOS AOS JOVENS, MAS NÃO SABE POR QUAL OPTAR?

Muitos jovens, principalmente aqueles que estão prestes a finalizar o ensino médio, ficam ansiosos por causa da busca pelo primeiro emprego, por saberem que a entrada no mercado de trabalho pode ser bastante concorrida.

Fato é que muitos jovens já ouviram falar sobre oportunidades de conseguir um trabalho como Jovem Aprendiz, por meio de estágios ou até mesmo por meio de programas de trainee.

Porém, muitos não sabem como se dá o processo de cada uma dessas modalidades de inserção no mercado de trabalho, e torna-se comum surgirem dúvidas em relação à quando devem começar a buscar ou onde buscar.

O programa Jovem Aprendiz é uma boa opção para aqueles que ainda estão cursando o ensino médio. Já o estágio é destinado a quem está cursando ensino médio, técnico ou superior. E por fim, os programas de trainee são direcionados àqueles que estão cursando ou já finalizaram um curso superior.

Todas essas modalidades de contratação representam uma oportunidade de crescimento e desenvolvimento na carreira, tornando-se o objetivo de diversos jovens. No entanto, elas possuem diferentes características e é importante conhecê-las para candidatar-se às oportunidades que mais se encaixam ao seu perfil.

Continue a leitura para você saber mais sobre as diferenças entre aprendiz, estagiário e trainee, como e onde buscar vagas, além de conhecer os benefícios concedidos às empresas que têm programas de empregabilidade direcionados aos jovens.

O QUE AS EMPRESAS GANHAM CONTRATANDO JOVENS PROFISSIONAIS?

A contratação de jovem aprendiz, estagiário ou trainee torna-se uma excelente oportunidade para a empresa de aumentar o número de colaboradores e melhorar a produtividade e competitividade do negócio.

Mesmo que os muitos gestores tenham receio de ter na sua empresa pessoas com pouca ou nenhuma experiência, contratar jovens profissionais pode ser bastante positivo, uma vez que agrega inovação e motivação à equipe.

Mas é preciso que o mercado esteja pronto para receber esses jovens que estão iniciando sua vida profissional, principalmente porque fazem parte de uma geração que se relaciona com o trabalho de uma maneira diferente das gerações anteriores. 

A contratação de jovens também exige mudanças no comportamento de líderes e gestores, porque os jovens desenvolvem trabalhos de maneira mais ágil e flexível. Mas, independentemente do perfil de cada um desses jovens, o importante é que se comprometam com seus objetivos.

Entre as vantagens da contratação de um jovem para o Programa de Aprendizagem, estão os incentivos fiscais: Pagamento de apenas 2% de FGTS; a dispensa do aviso prévio remunerado; dispensa do pagamento da multa rescisória; e ainda, contribuição previdenciária sem aumento, para o caso de empresas registradas no Simples Nacional. 

Outro importante benefício que as empresas obtêm ao contratarem estagiários ou trainees é a formação de mão de obra qualificada, algo cada vez mais necessário em um cenário econômico em permanente evolução tecnológica.

APRENDIZ, ESTAGIÁRIO OU TRAINEE? QUAL A MELHOR OPÇÃO PARA INGRESSAR NO MERCADO DE TRABALHO?

As empresas podem abrir oportunidades para os jovens dentro desses três tipos de contratação. Conheça os detalhes de cada um.

JOVEM APRENDIZ 

O que é e como funciona

O programa Jovem Aprendiz, criado pela Lei 10.097/2000 e regulamentado pelo Decreto nº 5.598/2005, é um programa de aprendizagem voltado para a preparação e inserção de jovens no mundo do trabalho.

A Lei da Aprendizagem determina que empresas de médio e grande porte tenham uma cota entre 5% e 15% das vagas destinadas aos jovens entre 14 a 24 anos, sendo estudantes dos ensinos Fundamental, Médio, Técnico ou já formados.

O contrato de trabalho se dá via CLT, com remuneração baseada no salário mínimo vigente, e a duração é de até 2 anos. O aprendiz tem direito a férias, FGTS e outros benefícios que a empresa contratante oferecer. A carga horária de trabalho é de 6 horas, para os jovens que ainda estão cursando o ensino médio, e de 8 horas para aqueles que já concluíram. 

As empresas participantes do programa contratam os jovens como aprendizes de ofício, previsto na Classificação Brasileira de Ocupações – CBO, do Ministério de Trabalho e Emprego (MTE) e, além do trabalho, o Jovem Aprendiz terá que fazer o curso de aprendizagem.

É de responsabilidade da empresa contratante matricular os jovens aprendizes selecionados em cursos de aprendizagem, em instituições qualificadoras reconhecidas, como as do Sistema S (SESC, SENAI, SESI, SENAT, etc.) ou em outras instituições definidas e cadastradas pelo governo federal, as quais são responsáveis pela certificação.

O Programa, que possibilita ao jovem assumir o papel de agente de desenvolvimento de sua própria carreira, também busca contribuir para a formação de jovens autônomos, que saibam fazer novas leituras de mundo, tomar decisões e intervir de forma positiva na sociedade.

Entre os objetivos do programa estão: desenvolver jovens e adolescentes estimulando-os a criar e/ou fortalecer valores éticos, praticar a cidadania, reforçar conhecimentos da formação base, e, principalmente, expandir e agregar conhecimentos técnicos específicos da sua área de atuação.

Como e onde se cadastrar no Programa Jovem Aprendiz?

Para conseguir uma vaga como Jovem Aprendiz, o primeiro passo é verificar as empresas que oferecem oportunidades nesta modalidade. Você pode acessar o site de empresas específicas para as quais quer se candidatar ou fazer uma busca em “classificados online de emprego”, como a Catho ou a Infojobs, por exemplo.

Pode também se cadastrar em instituições que possibilitam aos adolescentes e jovens a inserção ao mundo do trabalho, como o CIEE, por exemplo. Basta acessar o site e realizar a inscrição. Depois, você deve acessar o site diariamente para verificar a disponibilidade de vagas que se enquadram no seu perfil.

O próximo passo é separar a documentação exigida para a vaga, como RG, CPF, comprovante de residência, por exemplo. Não se esqueça do comprovante de matrícula caso esteja cursando o ensino médio.

Em seguida, prepare seu currículo concentrando-se em destacar sua escolaridade, os cursos que você já fez, as palestras que assistiu e o trabalho voluntário, caso tenha realizado.

Quando for chamado para uma entrevista, lembre-se de demonstrar interesse pela vaga, indicando o quanto você poderá evoluir e contribuir para o crescimento da empresa. Fale também sobre os seus sonhos e objetivos profissionais.

PROGRAMA DE ESTÁGIO

O que é e como funciona

O estágio foi regulamentado por pela Lei 11.788/2008, com o intuito de compor o projeto pedagógico de um curso, seja da educação básica ou de ensino superior. De acordo com a legislação, ele pode ou não ser obrigatório, e visa preparar o aluno para o ambiente de trabalho.

Podem estagiar estudantes a partir dos 16 anos, que estejam matriculados e frequentando regularmente cursos de Ensino Médio, Educação Profissional, Educação Superior ou Educação Especial e nos anos finais do Ensino Fundamental, na modalidade EJA. 

Neste tipo de regime o estudante não tem carteira assinada e, por isso, não caracteriza vínculo empregatício. A remuneração ocorre em forma de bolsa-auxílio, e quanto aos benefícios, fica a critério da empresa oferecer ao estudante ou não, mas é comum que forneça o vale transporte.

No contrato de estágio, em relação às horas trabalhadas, tanto os estudantes do Ensino Médio quanto do Ensino Superior, não devem exceder 6h por dia ou 30 horas semanais.

As empresas também precisam obedecer a um limite máximo de número de estagiários. Eles não podem ultrapassar 20% do quadro nas companhias que possuem acima de 25 colaboradores.

O principal objetivo do estágio é desenvolver competências práticas da profissão. Assim, para que seja algo que contribua com a trajetória acadêmica e profissional do jovem, é imprescindível que o programa esteja relacionado à sua área de formação.

Como e onde se cadastrar em programas de estágio

Para conseguir uma vaga de estágio, o processo é muito semelhante ao de Jovem Aprendiz. Faça uma busca na internet por empresas que oferecem vagas para estagiários ou fazer uma busca em “classificados online de emprego”, como a Catho ou a Infojobs, por exemplo.

Mas o mais comum é que você se cadastre no CIEE, que é a instituição mais procurada e mais adequada para fazer essa “ponte” entre aluno e empresa. Basta realizar a inscrição no site e depois acessar diariamente para verificar a disponibilidade de vagas que se enquadram no seu perfil.

Ao ser chamado para participar de um processo seletivo, não se esqueça de fazer uma pesquisa prévia sobre a empresa contratante para conhecer as suas principais características e o que ela espera do candidato. Em geral, espírito de equipe, flexibilidade e comprometimento são algumas das competências valorizadas no ambiente profissional.

Lembre-se também que a maioria dos candidatos a vagas de estágio não tem experiência profissional. Por isso, aproveite para se destacar falando sobre atividades extracurriculares que você tenha feito, como cursos de idiomas e trabalho voluntário.

PROGRAMA DE TRAINEE

O que é e como funciona

Os programas de trainee funcionam de forma totalmente diferente dos programas Jovem Aprendiz ou de estágios. As vagas de trainee oferecidas pelas empresas são destinadas a estudantes que estão no final do curso superior ou recém-formados, com no máximo dois anos de conclusão da graduação. 

O programa tem uma duração média entre seis meses e um ano, e os trainees cumprem a mesma carga horária dos demais colaboradores e, mesmo sendo iniciantes em suas carreiras, costumam ser bem remunerados e são contratados via CLT com todos os benefícios trabalhistas. 

O programa de trainee é utilizado como uma estratégia de empresas de médio e grande porte para atrair e reter jovens talentos, apresentando um plano de carreira no qual o profissional é treinado para assumir, posteriormente, posições estratégicas dentro da organização, ou seja, o profissional é conduzido a desenvolver capacidades técnicas e sócio emocionais para assumir atribuições de caráter gerencial.

Os processos seletivos para trainee costumam ser acirrados e exigem dos candidatos domínio de outros idiomas (principalmente inglês), entrevistas com gestores, testes de raciocínio, provas de conhecimentos gerais e dinâmicas de grupo.

No programa de trainee as características do perfil profissional mais valorizadas são: liderança, capacidade de comunicação, criatividade, empreendedorismo, flexibilidade, foco em resultados, capacidade de solução de problemas, visão estratégica, visão de negócios de forma ampla, proatividade e habilidade para trabalhar em equipe.

Poder moldar os profissionais juniores, ao longo dos anos, é a principal vantagem que as empresas consideram ao contratar por meio de programas de trainee. 

Nessa perspectiva é possível fazer com que o trainee não se “contamine” dos famosos “vícios profissionais” e se desenvolva de acordo com o propósito e cultura da empresa, desenvolvendo aptidões necessárias para cargos de liderança.

Como e onde se cadastrar em programas de trainee

O primeiro passo é pesquisar empresas que estão com processos seletivos abertos para trainee. Você também pode fazer uma busca nos “classificados online de emprego”, como a Catho ou a Infojobs.

Você pode se inscrever em mais de um processo seletivo, mas lembre-se de colocar na balança principalmente a sua empatia com a missão, visão e valores da empresa.

Depois que fizer sua escolha, estude tudo que puder sobre a companhia. Em seguida, acesse o site da empresa e faça sua inscrição. 

E mesmo que você ainda não tenha nenhuma experiência profissional anterior, procure preparar um bom currículo destacando sua escolaridade, os cursos mais relevantes realizados, curso de idiomas e trabalhos voluntários, se for o caso.

Leia com atenção os pré-requisitos exigidos por cada empresa para participar do processo seletivo, pois algumas organizações necessitam que o trainee tenha disponibilidade para viagens ou mudança de endereço.

Por se constituir num processo seletivo mais “puxado”, você deve estar bem preparado para todas as suas etapas. Treine a sua fluência em outro idioma, o seu raciocínio lógico e sua habilidade de trabalhar em equipe. 

No mais, é só caprichar na sua apresentação, deixando o medo ou o nervosismo de lado, e mandar bem na entrevista, contando sua história de maneira sucinta e natural, mostrando quem você é e quais seus objetivos profissionais.




O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *